Close Window

Quantificação do Teor de Nitrogênio Foliar Utilizando a Área Foliar Específica Para Brosimum Sp., Inga sp. e Mabea sp. na Amazônia Central

Cristina Aledi Felsemburgh, CENA/USP, crisalefel@hotmail.com (Presenting)
Plínio Barbosa de Camargo, CENA/USP, pcamargo@cena (Presenting)
Joaquim Santos, INPA, joca@inpa.gov.br
Niro Higuchi, INPA, niro@inpa.gov.br
Vilany Matilla Colares Carneiro, INPA, vilanym@gmail.com
Jeffrey Quintim Chambers, Universidade de Tulane, chambers@tulane.edu
Edgard Siza Tribuzy, UFAM, estribuzy@ufam.edu.br

O nitrogênio (N) tem sido considerado um importante nutriente na regulação do crescimento das plantas, seu conteúdo é correlacionado positivamente com a capacidade fotossintética e com a produtividade. A área foliar específica (AFE) tem sido utilizada para quantificar o teor de nitrogênio foliar. A AFE e a concentração de N são peculiaridades que têm sido estudadas porque presumem ou demonstram a relação folha com trocas gasosas. A AFE é uma adaptação ao nível de folha e reflete o princípio da produtividade, modelos ecológicos predizem que, quanto maior for a AFE mais as plantas acumulam carbono. Existe ainda, uma correlação entre a eficiência do uso do nitrogênio das espécies com sua AFE. A AFE está relacionada com variáveis como fotossíntese líquida, taxa de crescimento relativo, produção e nitrogênio. Objetivou-se correlacionar: o teor de nitrogênio foliar e a AFE. O estudo foi realizado na Estação Experimental de Silvicultura Tropical do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia em Manaus-AM. Foram escolhidas três espécies: Brosimum sp. com 06 indivíduos arbóreos (IA), Inga sp. 10 IA e Mabea sp 05 IA. Para cada IA foram coletadas três folhas completamente expandidas, expostas a radiação solar e em bom estado fitossanitário. Após a coleta das folhas, foram retirados discos foliares. Os discos foliares foram secos em estufa, pesados, triturados e analisados no Analisador Elementar Carlo Erba. Verificou-se que para todas as espécies AFE apresentou correlação negativa. Para Brosimum sp. a AFE apresentou coeficiente de determinação (r2) (r2=0,67), probabilidade (P) (P< 0,001) e equação (n=-0,0205afe+3,9358); Inga sp. apresentou (r2=0,64), (P< 0,001) e (n=-0,0068afe+3,1341) e Mabea sp. apresentou (r2=0,70), (P< 0,001) e (n=-0,016afe+3,8305). Os resultados indicam que para estas espécies a AFE é um bom indicador para a quantificação do teor de N.

Science Theme:  ND (Nutrient Dynamics)

Presentation Type:  Poster

Abstract ID: 9

Close Window