Fechar Janela

LC-11 Resumo

JERS1 Estudo de Mapeamento das Várias Estações na Amazonia

Bruce Chapman — Jet Propulsion Laboratory (US-PI)
Luciano Vieira Dutra — INPE- Image Processing Division (DPI) (SA-PI)

Objetivos





Propomos desenvolver

estudos sobre troca e armazenamento de carbono. Esses estudos serão

desenvolvidos em sítios de áreas perturbadas e não-perturbadas ao longo de um

gradiente C3/C4 (savana à floresta úmida). 





Propomos mapear toda a

Bacia Amazônica usando imagens de radar a partir do radar (SAR) Synthetic

Aperture Radar do JERS-1 (Japanese Earth Resources Satellite). Devido à

habilidade do radar de “enxergar” através das nuvens, uma seqüência de imagens

de radar coletadas dessa área em cada passagem do JERS-1 trará resultados em um

mapa singular da Bacia Amazônica em um ciclo repetido de 44 dias.
style="mso-spacerun: yes">  





Há muito interesse no

efeito da enchente substancial que ocorre ao longo da Amazônia. O satélite

JERS-1 é particularmente bem ajustado para se estudar a extensão de enchente,

devido à grande quantidade de penetração eletromagnética até o solo através do

dossel da floresta nesse comprimento de onda: as ondas do radar penetram até a

superfície suave de água e “double bounce” os troncos das árvores para o radar,

resultando em um retorno claro (vivo, brilhante) dessas áreas para o

radar. 





Este projeto resultará num

conjunto de dados singulares, representando não apenas a extensão de inundação

das florestas úmidas, mas também no mapeamento de artefatos feitos pelo homem

tais como estradas, cidades, áreas de cultivo e devastadas. O mapa que estamos

propondo desenvolver será usado pela equipe internacional de cientistas para

examinar a quantidade de devastação que se apresenta por toda a Bacia

Amazônica. Uma vez que as observações de radar não são ofuscadas por nuvens ou

chuva, pela primeira vez teremos um “snap shot” do estado atual da devastação.

Comparações desse conjunto de dados com 

mapas passados e futuros propiciarão estimar-se a taxa de devastação.

Além disso, habitats biológicos diferentes serão identificados nas imagnes de

radar. Esses dados estarão disponíveis aos cientistas para o estudo da

Amazônia, inicialmente em CD-ROM e posteriormente na Internet.





As imagens de radar do

JERS-1 têm sido usadas com sucesso para se determinar a extensão de enchente,

tipo de vegetação básica (incluindo cortes) e para o estudo de mudanças nesses

parâmetros. Propomos estender nosso desenvolvimento de algorítmos que podem ser

aplicados aos dados do JERS-1 por toda a Amazônia para gerar mapas de tipos de

enchente e vegetação. Esses mapas serão comparados com dados de calibre de

rios, mapas de vegetação, estudos de campo e dados complementares de

sensoriamento remoto de sítios selecionados. Esses estudos são esforços da NASA

nas Interfaces Hidrológicas e Superfície da Terra, Modelagem e Conseqüências de

Mudança da Cobertura  da Terra e de

USGCP, Dinâmica Biogeoquímica e Dinâmicas e Sistemas Ecológicos.





Este projeto é um esforço

conjunto de cientistas do Jet Propulsion Laboratory (JPL, U.S.), University of

California (UCSB, US,) Alaska SAR Facility (ASF, US), Instituto Nacional de

Pesquisas Espaciais (INPE, Brasil), Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia

(INPA, Brasil) e National Space Development Agency of Japan (NASDA, Japan) e do

British National Space Center (BNSC, UK). 





 





 



Close Window