Fechar Janela

LC-13 Resumo

Avaliação de Baixo Custo do Hipérion e Ali do EO-1 para Detecção e Caracterização Biofísica da Extração Seletiva na Amazônia

Gregory Paul Asner — Carnegie Institution (US-PI)
Jose Natalino Macedo Silva — Brazilian Forest Service (SA-PI)

Sumário









Grandes

incertezas existem com relação aos índices e intensidade de extração

seletiva nas florestas tropicais de todo o mundo: essas incertezas limitam, em

muito, as análises econômicas, ecológicas e biogeoquímicas dessas regiões.

Levantamentos recentes de serrarias na região amazônica do Brasil mostram que

a área de extração de madeira é quase equivalente ao total da área

devastada anualmente, mas a conversão dos dados do levantamento à área

florestal, danos florestais estruturais e estimativas da biomassa requerem várias

suposições a respeito das práticas de extração. 

O sensoriamento remoto podá fornecer um meio independente de monitorar

as atividades de extração e de estimar as conseqüências desse uso da terra.

Estudos anteriores demonstraram que a detecção da extração nas florestas

amazônicas é difícil e nenhum estudo tem desenvolvido nem a base física

quantitativa e nem as abordagens de sensoriamento remoto necessárias para se

estimar os efeitos dos vários regimes de extração na estrutura florestal. Uma

razão importante dessas limitações tem sido a falta de dados óticos

suficientes e bem calibrados de satélite, o que tem impedido o uso e o

desenvolvimento de abordagens quantitativas e de base fisica para a detecção e

a caracterização estrutural dos regimes de extração da floresta.






Propomos

usar dados do espectrômetro de imagem do Hipérion do EO-1 para aumentar

sensivelmente as nossas capacidades de estimar a presença e atributos

essenciais da extração seletiva na Bacia Amazônica. Nossa abordagem baseia-se

em quatro “indicadores biogeofísicos” ainda não 

derivados simultaneamente de qualquer sensor de satélite: 1) índices de

área foliar dos dosséis verdes; 2) grau de sombreamento; 3) presença de solo

exposto e 4) material vegetal não-fotossintético. Estudos aéreos, de campo e

de modelagem têm mostrado que o contínuo de reflectância ótica (400-2500 nm)

contém informações suficientes para se derivar estimativas de cada um desses

indicadores. Nossos estudos em andamento na Amazônia oriental também sugerem

que esses quatro indicadores são sensíveis à intensidade de extração.

Estimativas desses indicadores baseadas em satélite deverão fornecer um meio

de quantificar tanto a presença como o grau de distúrbio estrutural causados

pelos vários regimes de extração.









Nossa

avaliação quantitativa dos dados hiperespectrais do Hipérion e

multiespectrais do ALI para a detecção e caracterização estrutural da extração

seletiva na Amazônia irá beneficiar-se dos dados coletados por um projeto em

desenvolvimento na Fundação Floresta Tropical, no qual temos desenvolvido um

estudo de dosséis e da biofísica da paisagem de extração convencional e de

impacto reduzido. 

Isso será acrescentado aos nossos dados sobre informações estruturais

da floresta, em conjunto com uma passagem do EO-1. Usando como técnica de

inversão um modelo de transporte de fótons que considera uma mistura não

linear dos quatro indicadores biogeofísicos, estimaremos esses parâmetros

através de um gradiente da intensidade da extração seletiva fornecido pelos sítios

de extração seletiva convencional e de impacto reduzido. 

A abordagem de base física será também comparada tanto aos índices

convencionais (por exemplo, NDVI) e aos novos índices de vegetação (por

exemplo, canal-SWIR) 

quanto aos métodos de modelagem linear da mistura. Essas abordagens serão

comparadas e cruzadas usando-se os imageadores Hipérion e ALI para determinar

as forças e as limitações desses dois sensores para aplicações da biofísica

florestal.  Esse

trabalho produzirá a primeira análise quantitativa e de base física da detecção,

e da intensidade da extração seletiva na Amazônia, comparando-se abordagens

hiperespectrais e multiespectrais melhoradas, assim como a modelagem inversa,

modelagem  linear

de mistura e técnicas de índice de vegetação. Os sítios de estudo dessa

investigação incluem a Fazenda Cauaxi no Município de Uliolândia e a

Floresta do Tapajós, em Santarém, Pará (Tab. 1)






 





Objetivos  











dois objetivos principais neste projeto:









1.       

Testar a eficácia do espectrômetro de imagem do Hipério do EO-1 e os

dados multiespectrais do ALI para detecção e quantificação dos danos

estruturais florestais resultantes da extração seletiva na Bacia Amazônica

oriental.









2.       

Testar a força dos índices espectrais tradicionais e novos, modelagem

linear da mistura e modelagem inversa de transporte de fótons para a obtenção

de estimativas confiáveis de variação biogeofísica, através de um sítio

matriz de intensidade e tempo de extração desde a colheita.





 





Tabela

1. Características logísticas e físicas dos sítios de pesquisa da extração.

Campos completos e coletas de dados de sensoriamento remoto.



















































































 







Fazenda

Cauaxi









FLONA

Tapajós /




Fazenda

Fortaleza







Central

Lat./Long.







3o43’S,

48o17W







3°3'S, 54°58'W









Estação

Seca







Julho



-



Dezembro









Julho



-



Dezembro





Tratamentos

da



Extração





Extração

Convencional e de

Impacto Reduzido




Extração

Convencional e de

Impacto Reduzido




Anos

de Tratamento







1995-1999







1996-1999

/



1991 – 1999





Medições

Preliminares do Campo







Densidade

padrão;






Alturas das árvores;






Dimensões das copas;






LAI;



fPAR;





Identificação

de espécies e mapeamento; diâmetros dos troncos (dbh);



GPS;



espectrometria do campo (400-2500nm): propriedades óticas do tecido e

reflectância do solo;



LAI





Sensoriamento

Remoto Recente







Landsat

5 TM; SPOT solicitado. LIDAR aéreo; videografia digital aérea







Landsat

5 TM;



SPOT;



radar JERS-1;



LIDAR aéreo; videografia digital aérea.





 







última modificação: 04/18/02 08:59:16 AM


email de contato:

lbaeco-info@lba-email.gsfc.nasa.gov



responsável na NASA: Dr. Darrel Williams, Code 923


Declaração

Legal de Privacidade do website



da

NASA



Close Window